Virtual Mamoré

Virtual Mamoré

Dicas sobre tomada de decisão com o CEO da Amazon

Uranio Bonoldi, faz uma análise do processo de criação de Jeffrey Bezos.

         © jpg


POR AMANHECER DA NOTICIAS

Jeffrey Bezos ou só Jeff é uma daquelas pessoas que escolheu o desafio como motor de motivação desde o início da sua carreira. Após se formar em Princeton, Bezos se embrenhou em Wall Street para trabalhar com informática. Entre as empresas que atuou estavam a Fitel, ligada a rede de comércio internacional e D. E. Shaw & Co. no segmento de negócios com acesso à Internet.

A grande ideia da Amazon surgiu em 1994 depois de Bezos fazer uma viagem de cross-country de Nova York para Seattle, escrevendo o plano de negócios da empresa no caminho. Como bom empreendedor iniciante, a empresa surgiu na garagem de Bezos (vale a piada de que o empreendedor iniciante, antes de mais nada, deve ter uma garagem para ter sucesso). Na época, o primeiro maior desafio do CEO foi abandonar um trabalho bem remunerado em Nova York para investir na ideia de um novo negócio que ainda ninguém tinha pensado a partir do uso da internet: compra de livros on line.

Sim, os pedidos de livros passariam a ser feitos pelos usuários finais pelo uso da internet, apresentando uma grande revolução nesse mercado. Outro ponto é que não havia um estoque limitado por um armazém já que existia um catálogo imenso de livros por conta de parcerias com atacadistas e distribuidoras. Então, a Amazon sempre tinha o livro que você queria e o entregava o mais rápido possível.

Depois de mais de 20 anos no mercado, a Amazon continua no topo do jogo do varejo virtual. Hoje, a gigante do comércio eletrônico parece ter uma mão em tudo, desde equipamentos eletrônicos, – produtos dos mais variados a serviços de nuvem corporativa a filmes premiados e séries de televisão e algumas livrarias próprias e centros de distribuição.

Para entender melhor como Bezos toma as decisões que o levaram até o topo, ele expôs em sua carta de 2017 aos acionistas, a revelação de uma espécie de metodologia para as escolhas e tomada de decisão. Listei frases que achei mais interessantes e logo abaixo cito o que representam cada uma delas na minha metodologia de tomada de decisão:

1. Entenda que você não pode tomar todas as decisões da mesma maneira

No artigo ele explica que cada decisão deve ser feita a partir daquele panorama que se mostra à sua frente – contexto, e deve servir de forma que todos entendam se precisar mudar futuramente. "Nunca use um processo de tomada de decisão de tamanho único. Muitas decisões são reversíveis, portas de mão dupla. Essas decisões devem usar um processo leve", disse.

VALORES: Conheça seus valores e os valores corporativos. Isso torna a decisão consciente, bem posicionada e leve!

2. Você tem que ser capaz de pular etapas para tomar uma decisão

Ousadia e poder na intuição é o que Bezos quer ensinar para seus acionistas. Quando temos o controle da situação, isso pode representar que também estamos ultrapassados sobre aquele tema. "A maioria das decisões provavelmente deve ser feita com algo em torno de 70% das informações que você gostaria de ter. Se você esperar por 90%, na maioria dos casos, provavelmente estará lento", aponta.

INTUIÇÃO: Use a intuição positiva, aquela que está voltada para o futuro. Para aquilo que ninguém nunca experimentou e deve gerar grande valor para as pessoas.

3. Com impasses, tenha ciência de escolher qual é a única saída

Quando o trabalho precisa de várias pessoas para fazer escolhas, esse processo pode ser desgastante. Por isso, a melhor saída deve ser alinhar os pontos em acordo para assim ter uma tomada de decisão por meio de reuniões de alinhamento. "Às vezes, as equipes têm objetivos diferentes e visões fundamentalmente distintas. Elas não estão alinhadas. Sem discussão, nenhum número de reuniões resolverá esse profundo desalinhamento" ponderou.

REFLEXÃO: Faça as pessoas refletirem, usarem a razão, baseando-se em valores. Isso leva ao alinhamento e à clareza de propósito.

Alguns desses conselhos do CEO da Amazon, empresa mais valiosa do mundo, pode te ajudar a gerir o próprio negócio ou a fazer uma boa reunião com a sua equipe. Independente do seu caso pessoal, a Amazon nos mostrou que decisões podem ser tomadas de forma muito conscientes e, um sonho distante, pode se tornar realidade e se tornar algo grandioso, como ser a segunda empresa do mundo a atingir a marca de US$ 1 trilhão de valor de mercado.

SOBRE O AUTOR

Uranio Bonoldi atua como professor, conferencista e consultor em gestão, governança corporativa e planejamento estratégico, dando suporte a empresas que desejam crescer de forma estruturada. A partir de sua longa experiência executiva em cargos de alta gestão, observou a dificuldade das pessoas em tomar decisões não só nos negócios, mas também na vida pessoal. Tal constatação levou-o a integrar sua experiência profissional a pesquisas e reflexões sobre liderança e processo de decision making.

É por essa bagagem adquirida que em seu livro de estreia, "A Contrapartida", Bonoldi aborda, de maneira lúdica e profunda, o impacto que as escolhas têm na vida pessoal e profissional de cada pessoa.

Crença de mãe: proximidade e tempo de exposição a aparelhos eletrônicos podem estar por trás de epidemia de miopia

Nenhum comentário

Mais no Virtual Mamoré