Virtual Mamoré

Virtual Mamoré

Campinas está no ranking de cidades promissoras para investir em franquia de Moda infantil

Cidade se destaca nos rankings dos principais públicos consumidores.

         © jpg


POR AMANHECER DA NOTICIAS

O mercado de franquias de moda infantil tem vivido um bom momento mesmo diante da crise econômica do país. Dados da Associação Brasileira de Indústria Têxtil e Confecção (Abit) demonstram que o setor cresce, em média, 6% ao ano. Em 2018, o potencial de consumo do Brasil em vestuário infantil superou os R$ 25 bilhões. E, acredite, dentro do universo nacional, há lugares em que o investimento nessa área pode ser ainda mais promissor.

Pesquisa realizada pela Goakira Consultoria e Gestão de Rede de Negócios aponta as 10 cidades com maior potencial de consumo para o setor. Santo André, no ABC Paulista, desponta em primeiro lugar, considerando o público consumidor B, que concentra 35% do potencial de consumo de vestuário infantil.

Quando se leva em conta o público consumidor C, com 45% do potencial de consumo desses produtos, o Rio de Janeiro fica em primeiro lugar, seguido por Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo. A Região Sudeste é a que mais se destaca no ranking dos dois públicos, com o Nordeste aparecendo a seguir – Natal (RN) e Maceió (AL) estão presentes entre as 10 melhores nas duas listagens.

Para gerar o ranking, os pesquisadores utilizaram dados de potencial de consumo versus a classe social, disponíveis na ferramenta Geofusion (geofusion.com.br). Entre outras variáveis, os cálculos levaram em conta as Taxas Geométricas de Crescimento Anual (TGCAs) populacional e de renda medidas de 2010 a 2018 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"O que se vê nas cidades que estão piores no ranking é que há uma carência de investimento no mercado têxtil. Ou são cidades que sofreram muito com a crise e têm seus investidores ainda pouco confortáveis em investir", diz Deborah Lima Machado, consultora sênior de negócios da Goakira, que esteve à frente da pesquisa. "Porém, é possível reverter esse cenário, visto que o crescimento de mercado é uma projeção nacional e certamente quem apostar primeiro irá mais cedo colher os frutos."

Entre as cidades ranqueadas, Deborah ressalta pontos em comum, como índices de crescimento de renda e população crescentes e potencial de consumo, em sua grande maioria, concentrado nas mãos das classes B e C. Por isso, a pesquisa focou mais nesses dois grupos. "São essas as classes que ainda optam por ter mais de um filho. Geralmente quando verificamos uma boa ideia não só fazemos a formatação da marca, como medimos por meio dessas pesquisas qual o tamanho desse mercado para melhorarmos nossos processos e podermos dar aos nossos clientes boas indicações de onde prospectar, onde abrir uma unidade", explica a consultora.

Até o fim do ano, Grupo Kyly abre lojas em quatro cidades ranqueadas





Como parte de seu projeto de expansão no mercado nacional, a Milon – marca que pertence ao Grupo Kyly – inaugura em setembro mais oito unidades da marca no país. Além disso, outras quatro lojas têm aberturas previstas até o fim do ano, ainda sem datas definidas.

Das doze novas lojas previstas até o fim de 2019, cinco ficam no Nordeste (em Fortaleza, Aracaju, Recife, Feira de Santana e São Luís), seis no Sudeste (em São Paulo Capital, Santos, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Vila Velha) e uma no Rio Grande do Sul, em Canoas. Entre as cidades escolhidas estão algumas das top 10 para os públicos B e C: Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Luís e São Paulo. Até o fim do ano, a projeção é de que a marca Milon conte com 70 unidades no país.


elivery no segmento de lavanderia ganha força no mercado carioca


Nenhum comentário

Mais no Virtual Mamoré